Ir para o conteúdo

Acervo do Museu da Vida Fiocruz ganha plataforma on-line

28/11/2023

A Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), por meio do Serviço de Museologia do Museu da Vida Fiocruz, lança a Base Museu, um sistema de gestão e difusão digital do acervo museológico. Com a nova plataforma, o público terá acesso a dados como designação, imagens, materiais e dimensões dos objetos musealizados. São mais de 2.500 itens incorporados ao acervo, sendo que uma parte está disponível em exposições e uma parcela maior se encontra em Reserva Técnica, e que em breve poderão ser consultados por estudantes, professores, pesquisadores e instituições do Brasil e do exterior. O evento de lançamento acontece em 11 de dezembro, entre 14h e 16h30, no Salão de Conferência Luiz Fernando Ferreira, no Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS), no campus da Fiocruz, em Manguinhos, no Rio de Janeiro.

O evento contará com a participação de três profissionais do campo dos museus, que abordarão questões importantes sobre a documentação museológica e a importância da difusão digital de bens culturais aos diversos segmentos de público.

Para a coordenadora do Serviço de Museologia, Mayara Manhães, “o sistema é intuitivo, o que facilita seu uso internamente e esperamos que também seja assim para o público”.  A Base Museu poderá receber contribuição do público para complemento de informações, ou ainda despertar o interesse por pesquisa presencial ao acervo. Tais solicitações deverão ser feitas através do e-mail: museologia.mv@fiocruz.br.

Entre os beneficiados com a Base Museu está o público do Museu da Vida Fiocruz, formado sobretudo por estudantes do ensino fundamental e médio, a partir das informações disponíveis sobre os objetos para atividades escolares, por exemplo. O sistema também permite agilizar solicitações de peças do acervo para exposições.

A Base Museu foi desenvolvida pela Sistemas do Futuro, empresa portuguesa criada em 1996 que aplica as novas tecnologias da informação na gestão do patrimônio cultural e natural.

A museóloga Juliana Albuquerque lembra pesquisa que fez sobre o primeiro microscópio eletrônico da Fiocruz, ao destacar a importância de uma plataforma de gestão de acervo. Segundo ela, esse tipo de sistema a ajudou a encontrar modelos de microscópio, como aquele usado pela Fundação, em outras instituições, principalmente nos Estados Unidos.

“Pela primeira vez, o público terá a oportunidade de explorar remotamente o valioso acervo do Museu da Vida Fiocruz, que inclui objetos pessoais e de trabalho dos pioneiros da ciência, como Oswaldo Cruz e Carlos Chagas”, destaca Inês Nogueira, historiadora e museóloga responsável pela documentação museológica, acrescentando que o acervo também apresenta coleções de arte, ciência e tecnologia, que contam parte da história da Fiocruz e da saúde pública no Brasil.

Serviço

Evento: Lançamento da Base Museu

Data: 11/12/2023

Horário:  14h - 16h30

Local: Salão de Conferência do Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS), no campus da Fiocruz, em Manguinhos (RJ).

Programação do evento

14h: Boas-vindas e mesa de abertura

14h30: Palestras

Alexandre Matos - Diretor de Investigação e Formação da empresa Sistemas do Futuro

Elizabete de Castro Mendonça - Professora no curso de museologia (UNIRIO), Coordenadora do Núcleo Multidimensional de Gestão do Patrimônio e Documentação em Museus (NUGEP/Unirio)

Inês Nogueira – historiadora e museóloga do Serviço de Museologia do Museu da Vida Fiocruz

15h30: Debate com participação da plateia

16h: Encerramento seguido de coffee break


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir