Ir para o conteúdo

História e trajetória da Fiocruz em cartaz na Espanha

2022-08-23

As origens e a história de uma das instituições mais importantes da América do Sul - a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) - são o tema da exposição Manguinhos revelado: um lugar de ciência, uma iniciativa da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) e o Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca e a Fundação Cultural Hispano-brasileira, ambos da Espanha. A mostra, que comemora o Bicentenário da Independência do Brasil, será inaugurada no dia 9 de setembro, às 12h, no hall da Faculdade de Geografia e História da universidade espanhola.

Veja aqui o catálogo da exposição

Concebida pela Casa de Oswaldo Cruz (COC), unidade e centro de memória da Fundação, a mostra conduz o público à verdadeira jornada histórica, por meio de registros fotográficos assinados por J. Pinto (contratado pelo próprio Oswaldo Cruz), que integram o conjunto de negativos de vidro – composto por cerca de 8 mil itens digitalizados – do Arquivo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), reconhecido pelo Programa Memória do Mundo da Unesco como Patrimônio Documental da Humanidade desde 2012. 

Exposição leva à Espanha cotidiano e trajetória de uma das instituições
de saúde mais importantes da América do Sul
 . Imagem: divulgação/
Universidade de Salamanca

 


A exposição resgata o desenvolvimento das atividades científicas na saúde pública do Brasil, partindo do início da Fiocruz, com a instalação do Instituto Soroterápico Federal na então Fazenda de Manguinhos, em 1900, e acompanha a evolução urbana do Rio de Janeiro – com grandes mudanças em sua paisagem – nos anos de 1903 a 1946.  No início do século 20, a região de Manguinhos, ainda pouco habitada, era ideal para a fabricação de soros e vacinas. O acesso ao local era possível apenas por barcos – que atolavam devido aos mangues da região (daí o nome do bairro) – e pela Estrada de Ferro Leopoldina. O curso do século 20 seria marcado por período de grandes intervenções e alterações no panorama da região, muito em função da necessidade de sanear e urbanizar os subúrbios do Rio de Janeiro. 

Outro enfoque é o cotidiano institucional, que se consolidou no tripé pesquisa, ensino e produção de imunobiológicos. Em 1908, já como Instituto Oswaldo Cruz (IOC), nome dado em homenagem ao seu primeiro diretor, transformou-se num dos mais importantes centros de medicina experimental da América Latina, recebendo a visita de personalidades do mundo científico e político. O IOC foi a primeira instituição científica a dar ao país uma reputação internacional, proporcionando os fundamentos para o desenvolvimento sustentável das ciências biomédicas no Brasil na primeira metade do século 20. Hoje, a Fiocruz está instalada em 10 estados brasileiros e em Moçambique, na África, desenvolvendo ações de ensino, pesquisa, inovação, assistência, desenvolvimento tecnológico e extensão no âmbito da saúde. 

As expedições dos cientistas do IOC ao interior do Brasil também são um destaque da exposição. As viagens significaram um marco para a pesquisa científica e para o conhecimento do Brasil, associando o ideal civilizatório à proposta de integração dos sertões ao restante do país. As incursões no início do século 20 estavam relacionadas às atividades econômicas da época, como a construção de ferrovias, o saneamento de portos e a extração da borracha na Amazônia. As expedições promoveram pesquisas médicas, de higiene e de história natural e ampliaram a atuação do Instituto Oswaldo Cruz no território nacional. 

Por sua especificidade e originalidade, esse acervo pode ser considerado um repositório singular da memória visual da saúde pública no Brasil, tanto por seu valor histórico-documental, quanto por seu valor artístico, na medida em que representa uma referência da técnica e estética fotográficas aplicadas à saúde e à ciência. A exposição é uma oportunidade valiosa para conhecer parte desse acervo, considerado um repositório singular da memória visual da saúde pública nacional, tanto pelo valor histórico-documental quanto pelo valor artístico. Representa ainda uma referência da técnica e estética fotográficas aplicadas à saúde e à ciência. 

Exposição: Manguinhos revelado: um lugar de ciência 
Inauguração: 9 de setembro 
Horário: 10h 
Período: 9 de setembro a 16 de setembro de 2022. 
Local: Faculdade de Geografia e História da Universidade de Salamanca 
Endereço: Calle Cervantes, s/n. 37002 Salamanca, Espanha 
Informações: dec.fgeh@usal.es 
 

 

 

 


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir