Ir para o conteúdo

Nova edição de HCS-Manguinhos destaca desafios das revistas científicas de história

2022-04-19

César Guerra Chevrand


   

Os desafios das revistas científicas de história em meio ao atual cenário de incertezas no Brasil são destaques da nova edição da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Na Carta do Editor, o editor científico, Marcos Cueto, e a editora executiva, Roberta Cardoso Cerqueira, chamam a atenção para o editorial coletivo do Fórum de Editores de Periódicos da área de História da Associação Nacional de História (Anpuh), que ressalta o papel dos periódicos científicos e de suas equipes editoriais na circulação do conhecimento. O número 1 do volume 29 (janeiro/marco de 2022) da HCS-Manguinhos está disponível na íntegra no portal SciELO.

Leia também:
SciELO - HCS-Manguinhos, vol.29, n.1
Blog da revista 'História, Ciências, Saúde – Manguinhos'
Edição anterior: Dossiê discute a questão do leite na América Latina

Transcrito na íntegra, o editorial coletivo do Fórum de Editores de periódicos da Anpuh-Brasil (2022) - Por uma política de valorização das revistas acadêmicas na área de História - reivindica uma "ampliação nos usos de artigos científicos na prática de pesquisa, de formação, de ensino e de preparo e seleção de novos pesquisadores" e o "reconhecimento pleno dos trabalhos realizados pelas equipes editoriais". Além disso, aponta para um "grave cenário nacional de descaso e flagrante desfinanciamento das pesquisas", que provoca muitos prejuízos às atividades acadêmicas, inclusive com o encerramento da atividade de muitos periódicos.

Análise

O artigo de André Nogueira e Lorelai Kury - O cirurgião ilustrado Francisco Antônio de Sampaio e as plantas de “seu país” (Vila de Cachoeira, BA – fins do século XVIII) - é um dos destaques da seção Análise. O texto analisa sua produção científica e práticas de cura, com particular atenção aos usos e descrições das plantas locais e sua relação com agentes locais e metropolitanos. O trânsito de plantas e a circulação de práticas médicas na América Meridional durante a Época Moderna são o tema de Heloisa Meireles Gesteira.Também sobre plantas, Nicolás Cuvi analisa as contribuições de Francisco José de Caldas e Alexander von Humboldt para o melhor conhecimento das cinchonas.

Também fazem parte da seção artigos sobre a Gaceta Médica de México como um manual “não sistematizado” de saberes; maternologia, eugenia e sífilis na Espanha durante o primeiro regime de Franco (1939-1950); Maria Lacerda de Moura e sua contribuição para a educação em Minas Gerais; a Clínica de Eufrenia e o Serviço de Ortofrenia e Higiene Mental; e um estudo de caso sobre a o caso da Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica.

Depoimento e Imagens

Política, ideologia e teoria médica são os temas da entrevista com o professor da Universidade de Notre Dame (EUA) Christopher Hamlinna na seção Depoimento da HCS-Manguinhos. Realizada em novembro de 2020 pelo professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Rafael Mantovani, a entrevista aborda, entre outros assuntos, as consequências das epidemias e a relação entre confiança na ciência e imaginação moral. Na seção Imagens, o professor Pedro Felipe N. de Muñoz analisa um capítulo da história internacional da saúde por meio de imagens que retratam as conexões entre o Museu Alemão de Higiene e os países latino-americanos de 1911 a 1933.

Fontes

Com base em depoimentos de antigos funcionários, o pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz Jaime Larry Benchimol descreve o cotidiano no Instituto Oswaldo Cruz no começo do século 20. De acordo com Benchimol, o "instituto era moderno por suas atividades, mas as relações de trabalho traziam as marcas de uma sociedade agrária e patriarcal, recém-egressa da escravidão". No outro artigo da seção Fontes, a doutoranda do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (SP) Janaina Salvador Cardoso analisa a natureza e o comércio no norte do Brasil a partir de Discurso sobre os gêneros para o comércio, que há no Maranhão e Pará de Duarte Ribeiro de Macedo (1633).

Testemunhos Covid-19

Três depoimentos compõem a seção Testemunhos Covid-19 nesta edição da HCS Manguinhos. A intrumentalização da pandemia na Colômbia, nas esferas empresariais, de educação e de governo, é a pauta do professor da Universidad Nacional de Colombia Jorge Márquez-Valderrama. No contexto chileno, o professor da Universidad de Chile Marcelo Sánchez Delgado analisa como a Covid-19 colocou em crise o modelo de desenvolvimento neoliberal e fez ressurgir um projeto de medicina social no país. Por fim, a professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Beatriz Teixeira Weber debate o quadro de incertezas nas medidas adotadas no Rio Grande do Sul contra a Covid-19 em 2020.

Resenhas

Cinco resenhas fazem parte da nova edição da HCS-Manguinhos. O Manual de sobrevivência para divulgar ciência e saúde de Catarina Chagas e Luisa Massarani é objeto de análise de Cristiane de Magalhães Porto. Além desta, constam também resenhas sobre La ciencia de la erradicación: modernidad urbana y neoliberalismo en Chile, 1973-1990, de César Leyton Robinson; Laboratorios en la selva: campesinos mexicanos, proyectos nacionales y la creación de la píldora anticonceptiva de Gabriela Soto Laveaga; Capital científica: práticas da ciência em Lisboa e a história contemporânea de Portugal de Marta Macedo; e Corps noirs et médecins blancs: la fabrique du préjugé racial, XIXe-XXe siècles de Delphine Peiretti-Courtis.


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir