Ir para o conteúdo

Museu da Vida será sede do congresso da RedPOP em 2023

2021-12-20

O Museu da Vida da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) foi escolhido para sediar o próximo congresso da Rede de Popularização da Ciência e da Tecnologia na América Latina e Caribe (RedPOP) em 2023. A definição foi feita na última edição do congresso da maior rede de divulgação científica da região, que aconteceu em sistema virtual nos dias 24 e 25 de novembro. Na ocasião, os membros da assembleia enalteceram a qualidade de todas as propostas para sediar o evento, abrindo a possibilidade de promoção interinstitucional de eventos satélites no período do próximo congresso.

Vice-diretor de Patrimônio Cultural e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), unidade à qual o Museu da Vida é vinculado, Diego Vaz Bevilaqua comemorou a escolha. Segundo ele, será uma oportunidade única de receber o evento com o campus da Fiocruz em Manguinhos renovado.

“Em 2023, estaremos com novas exposições no Nahm [Núcleo Arquitetônico Histórico de Manguinhos] inauguradas, na Cavalariça e no segundo andar do Castelo.  É uma ótima oportunidade no contexto de toda a reorganização da popularização da ciência na Fiocruz por conta da Política de Divulgação Cientifica [da instituição]”, acrescentou.

Segundo o vice-diretor, a expectativa é que o evento atraia cerca de 500 participantes da América Latina. Ele destacou ainda o potencial de integração de estudantes de pós-graduação à programação do evento. Atualmente, a COC/Fiocruz tem programas lato sensu e stricto sensu nas áreas de divulgação científica, patrimônio cultural e história das ciências e da saúde.

Diálogo com a pós-graduação

“Será formidável esse diálogo [com os alunos]. Soma-se a isso [a possibilidade de nos] articularmos com outros programas não somente da Fiocruz, mas do Rio de Janeiro, e outros museus, que já são parceiros nossos, como a Fundação Cecierj, a Casa da Ciência, o Museu do Amanhã, o Mast [Museu de Astronomia e Ciências Afins] e o Jardim Botânico”, pontuou Diego, ressaltando a indicação da assembleia da RedPOP para a possibilidade de ação conjunta do Museu da Vida com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que também se candidatou a sediar o evento.

Ex-chefe do Museu da Vida, Diego Vaz Bevilaqua, integra, como tesoureiro, o grupo executivo eleito no último congresso para dirigir a RedPOP no período 2022-2023. A chapa vencedora na eleição para a direção da RedPOP é composta por Lourdes Patiño-Barba (México), na direção-executiva; Miguel García Guerrero (México), como coordenador para as regiões Norte, Centro e Caribe; Sigrid Falla (Colômbia), como coordenadora para os Andes; Silvina Basile, como coordenadora do Sul, e Diego Vaz Bevilaqua, como tesoureiro. Para Diego, fazer parte do conselho diretor da RedPOP “é uma oportunidade de ajudar a construir essa rede latino-americana, que é referência” para a região.

RedPOP 

A RedPOP é a maior rede de divulgação científica da região e reúne centros e programas voltados à divulgação de Ciência e Tecnologia. Ela foi criada em novembro de 1990, no Rio de Janeiro, sob a chancela do Programa de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Unesco.  
Como uma rede interativa que une centros e programas voltados à divulgação da ciência e da tecnologia (C&T), a RedPOP funciona por meio de mecanismos de cooperação regional que facilitam o intercâmbio, o treinamento e o aproveitamento de recursos entre seus membros.


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir