Ir para o conteúdo

Pesquisador visitante da COC vence Prêmio Oswaldo Cruz de Teses

01/12/2017

Historiador Gabriel Anaya
Historiador Gabriel Anaya. Foto: Jeferson Mendonça

O historiador Gabriel Lopes Anaya foi contemplado com o Prêmio Oswaldo Cruz de Teses 2017, na área de Ciências Sociais. Pesquisador visitante da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), defendeu a tese Anopheles Gambiae: Do Invasor Silencioso ao "Feroz Mosquito Aafricano" no Brasil (1930-1940), no ano passado. A cerimônia de premiação será na próxima segunda-feira, às 9h, no Auditório do Museu da Vida, onde os vencedores nas diversas áreas receberão homenagem. Gabriel Anaya teve como orientadora Magali Romero Sá, vice-diretora de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da COC.

“Fico honrado com o prêmio, especialmente por ter a oportunidade de recebê-lo em pleno Ano Oswaldo Cruz, um momento em que a Fiocruz se mobilizou não apenas para recordar a trajetória de um dos maiores pesquisadores da história do Brasil, mas também de reconhecer os frutos deixados por essa trajetória”, afirmou Gabriel Anaya.

De acordo com o pesquisador, o legado de Oswaldo Cruz e o trabalho de pesquisadores comprometidos com a história das ciências no Brasil proporcionaram a criação do Programa de Pós Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz (PPGHCS), acolhendo seu projeto e fornecendo todas as condições para que pudesse realizar a pesquisa.

“Uma tese em história é muitas vezes um trabalho solitário, mas que necessita de um coletivo, que engloba toda uma infraestrutura de pesquisa: arquivos, bibliotecas e acervos variados. Igualmente importante, é a interlocução com pesquisadores, ou seja, a qualidade humana de pessoas mais experientes”, ressaltou. 

O historiador lembrou ainda a interlocução que teve com outras instituições, como o Departamento de História da Medicina da Universidade Johns Hopkins, e o Rockefeller Archive Center, nos Estados Unidos.

 “As contribuições que procurei fornecer ao campo da história das ciências na minha tese, com a orientação da professora Magali Romero Sá, é apenas uma pequena parte de um esforço institucional maior. Dessa forma, espero que os avanços e questões que abordei no meu trabalho sirvam para estimular discussões do presente, bem como para incentivar jovens historiadores para o campo de história das ciências.

O Prêmio Oswaldo Cruz de Teses, instituído pela Presidência da Fiocruz, tem como objetivo distinguir teses de elevado valor para o avanço do campo da saúde, em quatro áreas: saúde coletiva; ciências biológicas aplicadas à saúde e biomedicina; ciências humanas e sociais; e medicina. Além das premiações por área, foram concedidas seis menções honrosas.

Durante a cerimônia de entrega, haverá homenagem aos contemplados pelo Prêmio Capes de Tese 2017, entre os quais, a historiadora Ana Cristina Santos Matos Rocha. Aluna do Programa de Pós-Graduação em História das Ciência e da Saúde da COC, foi orientanda do pesquisador Robert Wegner.


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir