Ir para o conteúdo

Seminário destaca luta das mulheres cientistas na formação da Fiocruz

13/11/2019

A participação das mulheres cientistas na trajetória de 120 anos da Fundação Oswaldo Cruz será tema de seminário que acontecerá nos dias 26 e 27 de novembro em Manguinhos (RJ). Com destaque para o pioneirismo da atuação das primeiras cientistas na formação de uma das instituições científicas mais prestigiosas do mundo, o evento será realizado com apresentações e debates no Salão de Conferência Luiz Fernando Ferreira do Centro de Documentação e História da Saúde (Av. Brasil, 4365). O evento é gratuito e não há necessidade de inscrição.

Entre os principais temas em discussão estarão a trajetória das primeiras pesquisadoras do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), dos anos 1930 e 1970, com seus desafios e conquistas, as dificuldades de ascensão profissional em uma instituição de pesquisa e a sua luta por reconhecimento. Além de recuperar o papel das mulheres cientistas no IOC, antes da transformação em Fundação nos anos 1970, o encontro também tem o objetivo de sensibilizar as pesquisadoras atuais a conservar seus dados para formação de memória institucional. O evento é coordenado por Laurinda Rosa Maciel e Pedro Jurberg. 

Confira abaixo a programação:

26/11 | terça-feira

9h30 às 10h | Abertura do evento - Paulo Elian (diretor da COC), Magali Romero Sá (vice-diretora de Pesquisa e Educação da COC), Cristiani Vieira Machado (vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz), Maria José Salles (pesquisadora da ENSP e representante do Comitê Pró-equidade) 
10h às 10h10 |  Apresentação: Pedro Jurberg e Laurinda Rosa Maciel

Mesa 1Coordenação: Ana Luce Girão Soares de Lima (COC)
10h10 às 10h50 | O campo e o laboratório: a presença feminina na formação das coleções científicas do IOC, Magali Romero Sá
10:50 às 12:15 | Ciência como profissão: as primeiras pesquisadoras do IOC (1930-1970), Nara Azevedo e Daiane Rossi
12:15 às 12:45 | Debate 

12:45 às 14:00 | Intervalo para almoço

Mesa 2 – Coordenação: Bianca Antunes Cortes (EPSJV)
14h às 14h50 – Experiência na condução da pesquisa de uma doença negligenciada: o caso da hanseníase, Euzenir Nunes Sarno 
14:50 às 15:40 – Desenvolvimento de uma vacina antiparasitária e brasileira, Miriam Tendler 
15:40 às 16:30 – Um pioneirismo feminino na pesquisa do IOC, Ortrud Monika Barth 
16:30 às 17:00 – Debate

27/11 | quarta-feira

Mesa 3 - Coordenação: Laurinda Rosa Maciel (COC)
10h às 10h40 – Os gargalos da ascensão profissional em uma instituição de pesquisa, Maria Cristina Soares Guimarães 
10h40 às 11h20 – Preservação do Patrimônio Cultural da Ciência e da Tecnologia e o feminino, Jeorgina Gentil Rodrigues 
11h20 às 12h – Primórdios da bioquímica no IOC, Ottilia Mitidieri 
12h às 12h30 – Debate

12h30 às 14h – Intervalo para almoço

Mesa 4 – Coordenação: Cristiane D’Ávila (COC)
14h às 14h45 – Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas – Renascimento de uma proposta pioneira, Keyla Marzochi 
14h45 às 15h30 – Do elogio ao assédio, Pedro Jurberg 
15h30 às 16h15 – A luta das mulheres para serem reconhecidas numa instituição predominantemente masculina, Andréa da Luz Carvalho 
16h15 às 17h – Debate e encerramento

Data: 26 e 27/11/2019
Local: Salão de Conferência Luiz Fernando Ferreira do Centro de Documentação e História da Saúde

 


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir